segunda-feira, 19 de fevereiro de 2007

The Oblong Box (1969) Resenha



The Oblong Box (1969) Direção: Gordon Hessler

Sinopse:
Após cometer crime na África, aristocrata é torturado, desfigurado, resgatado pelo irmão (Vincent Price) e levado a terra natal. Na mansão da família, passa a sofrer violentos surtos psicóticos e o irmão se vê obrigado a confiná-lo e acorrentá-lo. Em meio a clausura, ele é enganado e atacado por um feiticeitro que lhe aplica um estranho dardo destinado a simular sua morte; o irmão, desconhecendo a natureza do mal que aflige o enfermo, o encaixota, sela o caixão para evitar comentários dos moradores, e por intermédio de um ladrão de cadáveres "providencia" um defunto para se passar pelo irmão durante a cerimônea funérea. Paralelamente, um médico (Christopher Lee) conduzindo experimentos proibidos com cadáveres, recebe do mesmo ladrão a "encomenda" do aristocrata adormecido que, ao despertar do caixão após a dissipação do efeito do dardo, passa a chantagear o médico e lhe obriga a hospedá-lo até que ele se vingue de todos que tentaram lhe enganar.



Crítica:
The Oblong Box é mais um de uma infinidade de imitações da série de adaptações do Edgar Allan Poe dirigidas pelo Roger Corman nos anos 60. Não fossem os créditos do filme, eu seria capaz de jurar ser um filme do Corman.
A obra do Hessler sempre me passou a impressão de rotina e mediocridade, mas esse filme, a meu ver, se destaca do restante de sua filmografia graças ao instigante (apesar de algumas inconsistências e implausibilidades) roteiro do Christopher Wicking e a maravilhosa fotografia
do futuro colaborador do Sam Peckinpah, John Coquillon; pode-se dizer que esse aspecto seja sua força motriz. A direção do Hessler é também mais inspirada que o habitual; o filme tem ótimo ritmo e envolve o espectador do começo ao fim.
Bela surpresa.



Cotação: **** de *****

2 comentários:

Leandro Caraça disse...

O Gordon Hessler tem alguns filmes bem interessantes. Gosto de "Grite e Grite Outra Vez".

Parabéns pelo blog !!!

Ramon Bacelar disse...

Oi,

Qdo o vi pela primeira vez não me impressionou, mas faz tempo e preciso reavalia-lo.