quinta-feira, 1 de março de 2007

Blacksad - Resenha de HQ




Blacksad - Panini Comics 50 pg
Roteiro: Juan Díaz Canales
Desenhos: Juanjo Guarnido

Sinopse:
Num mundo alternativo onde toda espécie de animais
falam e agem como humanos, o investigador particu-
lar John Blacksad envolve-se numa investigação clan-
destina para descobrir o assassino de uma famosa atriz
que no passado foi sua amante.
Por intermédio de um gorila ex-segurança da atriz,
Blacksad chega ao nome de Leon, um de seus últimos
amantes e principal suspeito, desaparecido misteriosa-
mente.
Após acordo ilícito com o delegado que lhe proibiu inves-
tigar o caso, Blacksad se infiltra na alta sociedade a fim de
resolver o mistério e pagar as contas com o passado.



Crítica:

Quando se fala em gibis com animais
falantes, palavras como plausibilidade,
verossimilhança e realismo vêm a mente.
Blacksad vêm de uma tradição de HQ`s
com talking animals em que o Pogo do
Walt Kelly e mais recentemente Bone do
Jeff Smith fazem parte.
À primeira vista não me soou muito anima-
dor ler uma HQ noir com um enredo ala Ja-
mes Ellroy tendo como protagonistas, gatos,
cachorros e outros tipos de animais se com-
portando como humanos. Felizmente eu esta-
va redondamente enganado.
Blacksad é uma revista notável, seja pelo rotei-
ro claro e preciso do Canales ou pela exube-
rante arte do Guarnido. Graças ao enredo enxuto,
diálogos afiados e a arte riquíssima em express-
ões faciais, os autores conseguem dar a esse
universo alternativo uma aura de realismo e
plausibilidade não muito distante dos melhores
romances noir. Em mãos menos habilidosas,
esse conceito cairia no ridículo total.
A galeria de animais, magistralmente desenhada pelo
Canales, é memorável: cães, gatos, lontras, lagartos,
ursos, cobras, sapos, todos têm personalidade própria.
Blacksad é uma hq de alto calibre não apenas pela
qualidade do roteiro e arte, mas também pelo time
artístico ter conseguido trabalhar a supension of
disbelief
(suspenção da incredulidade) maravilhosa-
mente bem.
Altamente recomendável.

Cotação; ****1/2 de *****

5 comentários:

Luis Azevedo disse...

E aí Ramon, beleza? Muito boa a sua resenha! Essa hq foi uma das boas surpresas lançadas no Brasil no ano passado. O roteiro é bastante simples, mas muito envolvente e os desenhos são espetaculares! Inclusive acho que o grande mérito da revista está nos desenhos. A riqueza de detalhes impressiona! Dou uma nota 7 para a história e nota 10 para os desenhos! Média 8.5...

Ramon Bacelar disse...

Esse é o tipo de revista que a gente compra pra falar mal e depois
acaba se impressionando.

veralucia disse...

Oi Ramon
Estou adorando todo os artigos do seu blog. Esta HQ me deixou louca para ler.Parece que mistura muitas coisas que gosto. Pena que não tenho nem idéia de onde com,car a procur-la para comprar.
Continue com o ótimo tabalho!
Beijos
Vera

Ramon Bacelar disse...

Oi Vera,

Primeiramente obrigado pela atenção.
Você pode encontrá-la com relativa
facilidade em sebos ou nas bancas pois saiu a pouco tempo pela Panini com grande tiragem.
Fique de olho também na continução; embora ainda não tenha lido Nação Àrtica, dei uma folheada
e de cara notei que a arte está ainda mais bonita. Pretendo resenha-la até o fim da semana.

Um abraço
Ramon Bacelar

Anônimo disse...

Oi, gostei muito de suas resenhas e gostaria de saber se posso usá-las pra postar no blog que vou fazer, não é concorrente do seu inclusive gostaria de fazer uma parceria pra trocar links. O que acha?