sábado, 28 de julho de 2007

Os pequenos gigantes do cinema fantástico-Parte 4


Higuchinsky:

Quando vi Uzumaki pela primeira vez, sem nenhuma
expectativa, me perguntei se esse Higuchinski seria capaz de repetir a
proeza (o mundo da música e cinema nos têm dado vários exemplos de artistas "one hit wonder"). Ao assistir The Long Dream, (filme feito para a TV japonesa por uma merreca) além das minhas dúvidas terem se dissipado por completo, tive a sensação de ter descoberto um artista com uma capacidade de invenção e talento incomuns. Não que Long Dream atinga o mesmo nível do Uzumaki, mas o que o diretor conseguiu com uma produção limitadíssima é qualquer coisa de tirar o chapéu. Numa era em que o cinema fantástico é dominado pela repeticão (alguém mais aguenta as Sadakos de cabelos longos ou os remakes japoneses feitos em Hollywood?) e pobreza visual, Higuchinsky demonstra ser um diretor que entende que o
plot
é apenas UM aspecto do cinema, sabe da importância da criação de uma atmosfera, do poder da sugestão e alusão, sabe usar gore e ultra-
violência na medida certa e têm plena consciência de que aquilo que "não é mostrado" pode ser muito mais assustador do que o que é mostrado. Indirectness, strangeness, otherworldliness e obliquiness também entram em seu vocabulário cinematográfico. Preciso mencionar que ele é um notável estilista visual? Uzumaki é um colírio para os olhos.
Não me atreveria a afirmar que o Higuchinsky é o futuro do horror mas que ele têm talento de sobra a mim não resta dúvida.

5 comentários:

Camiseta Personalizada disse...

Oi, achei teu blog pelo google tá bem interessante gostei desse post. Quando der dá uma passada pelo meu blog, é sobre camisetas personalizadas, mostra passo a passo como criar uma camiseta personalizada bem maneira. Se você quiser linkar meu blog no seu eu ficaria agradecido, até mais e sucesso.(If you speak English can see the version in English of the Camiseta Personalizada.If he will be possible add my blog in your blogroll I thankful, bye friend).

Bianca Castafiore disse...

Gostei imenso do seu blog!... Vim cá para numa pesquisa sobre MALPERTUIS, filme que nunca esqueci.
Fiz um link par ao seu post sobre o filme... espero que não se importe!
Obrigada! Hei-de voltar!

Ramon Bacelar disse...

Oi Bianca,

Eu é que agradeço sua visita.

Um abraço
Ramon Bacelar

Anônimo disse...

Legal encontrar alguém que conhece e admira Thomas Ligotti por aqui.Eu tento acompanhar o que ele lança desde 2003.
Você já leu o script "Crampton" (que inicialmente tinha sido idealizado como um episódio do Arquivo X) que é acompanhado por um cd com 6 textos musicados e lidos por Thomas Ligotti?

Alguns dos seus filmes favoritos também são meus, como por exemplo, "A hora do lobo".Fiquei realmente contente em conhecer seu blog.Entre em contato: eueueunaovc@gmail.com

Ramon Bacelar disse...

Oi,

Não li o Crampton mas eu me lembro de uma entrevista do Ligotti qdo ele comenta sobre suas intenções iniciais.
A Hora do Lobo também é um dos meus Bergmans prediletos.


Abraço
Ramon Bacelar