sábado, 15 de setembro de 2007

The Horla-Guy de Maupassant-Resenha de conto



Sinopse:
Cidadão de classe média passa a sentir em sua casa
a presença de uma entidade invisível que se alimenta
de água e leite. Fatigado físico e mentalmente pela su-
posta criatura, viaja para fora e após presenciar uma
poderosa sugestão hipnótica em que ele nota uma estra-
nha conexão com suas experiências, retorna a sua casa.
Batizado de Horla, sua presença se faz gradativamente
mais dominadora e aos poucos a vítima sucumbe a cria-
tura.

Crítica:
The Horla é um conto de loucura e paranóia como nenhum
outro. A descida gradual a loucura do protagonista é narrada
com uma intensidade e realismo psicológico digno dos melhores
contos do Edgar Allan Poe; notável também é a maneira como
o Maupassant estrutura o conto (mini capítulos divididos em
mês e data) permitindo que o leitor acompanhe "de perto" e
passo a passo o drama do protagonista (existe uma primeira
versão deste conto estruturado de maneira tradicional porém
menos impactante). Apesar do leitor atento sacar logo de cara
que a criatura invisível não passa do produto de uma mente
pertubada, o modo como o Maupassant sugere sua existência
e a maneira como ela afeta o protagonista é um primor de
artesanato. As constantes alusões a uma nova raça de seres,
ao seu poder de influência sobre os humanos e o parágrafo
final, são de gelar o sangue e vender os tabletes como picolé de
morango no maracanã em dia de Fla-Flu.
The Horla é considerado a obra prima do Maupassant e a meu ver
justifica toda a fama que têm.

Cotação: ***** de *****

Nenhum comentário: