sábado, 1 de setembro de 2007

Kuroneko (The Black Cat from the Grove, 1968)-Resenha de filme



Direção: Kaneto Shindo

Sinopse:
Vivendo em uma cabana isolada cercada por
um imenso bambuzal, duas mulheres são estu-
pradas e morrem queimadas após samurais
tocarem fogo na cabana. Retornando como es-
píritos, elas se vingam de toda a classe indu-
zindo vários samurais a uma mansão imaginária
para lá os assassinar. Ao retornar de uma sangren-
ta batalha, um jovem samurai se depara com as ruínas
de sua cabana onde moravam sua mãe e espo-
sa, ao mesmo tempo em que é convocado a exter-
minar a desconhecida maldição que aflige sua
classe, porém sem conhecer a verdadeira fonte do mal.


Crítica:
Antes de dirigir Kuroneko o Kaneto Shindo já tinha
assombrado o mundo com o brutal e belíssmo
Onibaba. Desta vez ele aposta numa proposta mais
explicitamente sobrenatural e cria uma obra de grande
beleza plástica e força poética. A repetição infin-
dável de cenas (com pequenas variações) foi notada
por alguns críticos como um aspecto negativo, mas a
meu ver só contribui para o lirismo e o ritmo quase en-
cantatório do filme. Outro aspecto digno de menção é
o contraste entre as sutis aparições dos espíritos (condu-
zidas com uma leveza e economia de efeito raras no
gênero) com as chocantes e violentas mortes dos samurais.
As atuações são excelentes e o senso de tragédia é inten-
sificado em particular nas cenas em que o jovem samurai,
sem saber que as duas mulheres são os espíritos vingativos
de sua mãe e filha, se apaixona pela jovem e ela acaba
por fazer um sacrifício em nome do amor sem revelar sua
verdadeira "identidade".
Kuroneko é uma obra artisticamente tão bem acabada que
se torna quase inútil mencionarmos a atmosférica fotografia,
o maravilhoso uso do widescreen, a maquiagem simples e
eficiente, o habilidoso uso do som e silêncio (atentem para a
a cena da batalha e como o silêncio pode provocar um efeito
desconcertante no espectador), as belíssimas coreografias
dos espíritos e a beleza econômica e minimalista da direção
do Shindo que sabe da importância do dito "menos é mais".
Kuroneko é cinema fantástico do mais alto nível artístico
possível e imaginável e qualquer cinéfilo com um pingo de res-
peito pela sétima arte deveria conhecê-lo.


Cotação: ***** de *****

3 comentários:

Ronald Perrone disse...

Belo texto. Não conhecia esse filme mas parece interessante.

Ramon Bacelar disse...

Kuroneko é um dos clássicos do período mas por alguma razão não
ficou tão conhecido qunato deveria,

Luis Azevedo disse...

Excelente texto! Tenho assistido alguns filmes japoneses deste paríodo (anos 60) e tenho ficado surpreendido com a qualidade e riqueza de idéias. Esse daí me deixou bastante curioso.... Mais um para a lista. Valeu pela esclarecedora resenha.