sábado, 16 de agosto de 2008

The Town Where No One Got Off-Ray Bradbury-Resenha de Conto



Sinopse:
Vendedor desembarca de um trem em um
vilarejo isolado e aparentemente inóspito
com o intuito de sair de sua monótona
rotina de viajante. Em suas andanças pela
cidade ele encontra o idoso que o recebeu
no desembarque e trava um diálogo
sobre a natureza do bem e do mal e a
possibilidade de um crime perfeito.


Crítica:
Ray Bradbury pode ser mais conhecido
como um autor de fantasias poéticas,
sentimentais e as vezes açucaradas, e pelos
romances As Crônicas Marcianas (na verdade
um romance mosaico que pode ser lido também
como contos independentes) e Fareinheith 451
(leitura obrigatória nas universidades americanas),
mas uma leitura mais abrangente de sua obra reve-
la um autor de extraordinária versatilidade. Do conto
autobiográfico a humor irlandês, realismo mágico,
humor negro, contos realistas, mistério, crime,
horror psicológico... os anos 40 e 50
foram décadas de incessante produção, criatividade
e experimentação e se nas décadas subsequentes pou-
co houve em renovação temática e estilística, Bradbury,
aquela altura, já tinha deixado sua marca na literatura
americana.
The Town pode ser classificado como um conto de
suspense psicológico (foi publicado na Ellery Queen
Mystery Magazine) mas com o característico "toque
mágico" do autor. Sim, aqui estão seus personagens
perdidos e solitários sufocados pela rotina e isolamento
espiritual, as paisagens inóspitas e desérticas que
parecem refletir o vazio e carência emocional de indiví-
duos patéticos que não passam de zumbis, sacos de ossos.
"Voce já odiou alguém?", pergunta o velho ao viajante e
a partir daí se trava um duelo psicológico cujo desfecho
é tão inesperado quanto apropriado.
The Town é um conto memorável.

Cotação: ****1/2 de *****

2 comentários:

livia soares disse...

Eu me identifico profundamente com os livros e autores que você menciona aqui. Só acho difícil encontrá-los no Brasil (como, alíás, quase tudo que de fato importa em termos de cultura...).
Um abraço.

Ramon Bacelar disse...

Oi,

Felizmente (e inexplicavelmente)
o Bradbury é um autor bastante divulgado no Brasil. A nata de sua obra foi lançada por aqui nos anos 80 e pode ser encontrada com certa facilidade em sebos.
Caso aja interesse posso lhe passar os nomes dos livros para você procurá-los.
Se não me engano este conto saiu na coletânea Remédio para Melancolia.

Um abraço
Ramon Bacelar