sábado, 13 de setembro de 2008

A Serpente (1966)-Resenha de Filme

Image Hosted by ImageShack.us

Direção: John Gilling

Sinopse:
Rapaz morto por uma estranha criatura
na mansão de um doutor em teologia,
deixa em seu testamento sua casa (em
frente a mansão) para o seu irmão, que
logo se muda para a nova morada com
sua esposa.
Excecrado pelos frequentadores de um pub
na sua chegada, tendo sua casa depredada
e não inteiramente convencido dos moti-
vos da morte do seu irmão, resolve investi-
gar as causas desta e outras mortes mis-
teriosas no vilarejo, ao mesmo tempo em que
toma contato com a enigmática e misteriosa
filha do doutor.

Image Hosted by ImageShack.us

Image Hosted by ImageShack.us


Crítica:

OK, eu sei que o que eu vou dizer é meio paradoxal e
não faz lá muito sentido, mas não tenho como colocar
de outra maneira: os filmes do estúdio inglês Hammer,
em sua grande maioria, não me causam nenhum medo
e inquietação, mas por algum motivo que não sei
explicar, eles me provocam um fascínio e maravilha-
mento que são únicos. John Gilliam é um dos mais profi-
ssionais e competentes diretores do cinema fantástico dos
anos 60, mas infelizmente teve o azar de filmar numa época
em que a concorrência era braba. Competir com um Mario
Bava ou Terence Fisher (seu companheiro de estúdio) não
tinha a menor graça e consequentemente obras sensacionais
como Epidemia de Zumbis, A Sombra do Gato e este A Ser-
pente acabaram por ficar  menos conhecidas como
mereciam; Gilliam foi ofuscado.
Talvez menos preciso que o Terence Fisher, mas com um estilo
mais fluido e de maior densidade atmosférica, em certos momentos
esta obra alcança uma intensidade quase hipnótica e alucinatória;
infelizmente a maquiagem um tanto fake acaba por vezes por di-
ssipar um pouco do efeito, mas não prejudica significantemente
o produto final.
A Serpente é puro Hammer e é um dos filmes que primeiro
me vem a mente (além dos primeiros clássicos do Lee/Cushing/
Fisher é claro) quando alguém me pede indicações.
Envolvente, movimentado, belamente fotografado e
com deliciosos momentos de bizarrerie e grotesquerie,
A Serpente é uma maravilha de cinema fantástico.
Hammer vintage.


Cotação: ****1/2  de  *****

2 comentários:

foca disse...

andando pela net dei com este blog. muito legal. parei neste post arrepiado quase: esse filme passou na tv eu devia ter uns 05 anos e meus pais me proibiram de ver. claro, me escondi no corredor e "vi" o filme de ouvido. fiquei tão aterrorizado (pois tinha visto poucas imagens na chamada) que me marcou profundamente e então passei a gostar muuuiito de terror , ficção, fantasia, fosse livro filme ou hq, por fim isso influenciou totalmente meu trabalho de ilustração sem dúvida!
muitos anos depois, já adulto, assisti o filme e adorei, me diverti muito.
obrigadíssimo pelo momento nostalgia.
abraços,
foca.

p.s.: tenho um blog com meus desenhos, se puder visite!

Ramon Bacelar disse...

Oi,

Sorry pela demora do reply.
A minha técnica para assistir ao corujão da Globo quando moleque
era fugir da cama mesmo!!
A Serpente é um dos meus Hammer prediletos.
Meu gosto também pende para FC, horror (europeu) e surrealismo.
Fico satisfeito em saber que meu blog têm cumprido a proposta!!!

Até mais