sábado, 4 de abril de 2009

The Preserving Machine (1952)-Philip K. Dick-Resenha de conto


Sinopse:
Cientista excêntrico preocupado com o
futuro das artes musicais cria uma
máquina capaz de converter música
em animais com o intuito de preser-
vá-las para gerações futuras.
Quando ele resolve explorar o parque
florestal descobre que as criaturas
musicais transmutadas descambaram para
um estágio evolucionário decadente e bizarro.
Chocado com a descoberta decide reconverter
uma das criaturas para sua forma original
de partitura musical mas ao excecutá-la
em um piano tem uma surpresa.

Crítica:
Taí um belo exemplo de como uma idéia
absurda pode se transmutar em ouro
nas mãos de um escritor humano e sensí-
vel. Tendo baixas expectativas após ter
lido o fraco conto The Short Happy Life
of Brown Oxford (ambos apresentam um
simpático e excêntrico cientista de nome
Dr. Labyrinth), TPM me surpreendeu
positivamente e certamente se coloca entre
os melhores contos escritos em sua primeira
fase.
Só mesmo o Dick é capaz de pegar um conceito
totalmente oddball e outré (para não dizer ridículo)
e transformá-lo em uma sensível e inteligente
alegoria darwinista. Apesar da atmosfera cozy
e do lightness of touch, TPM é no fundo um conto
sobre os custos da mudança e adaptação.
Leve, hilário e divertido, mas também inteligente e
instigante, TPM é uma pequena pérola Dickeana.


Cotação: ****1/2 de *****

Nenhum comentário: