quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

Trecho da semana: A função da arte/1-Eduardo Galeano



Diego não conhecia o mar. O pai, Santiago Kovadloff,
levou-o para que descobrisse o mar.
Viajaram para o Sul.
Ele, o mar, estava do outro lado das dunas altas, esperando.
Quando o menino e o pai enfim alcançaram aquelas
alturas de areia, depois de muito caminhar, o mar estava
na frente de seus olhos. E foi tanta a imensidão do mar, e
tanto seu fulgor,que o menino ficou mudo de beleza.
E quando finalmente conseguiu falar, tremendo, gaguejando,pediu ao pai:
– Me ajuda a olhar!

Atlas Era: Strange Tales Vol.1-Resenha de HQ



Atlas Era: Strange Tales Vol.1 is one of the earliest horror
mags from Timely/Atlas/Marvel and is slighty inferior to
his sister publication Journey into Mystery, partly because
Atlas staff didn't know exactly how to sell and promote
such a strange beast like a horror comic (remember that we
are on early fifties!!!)and partly because the majority of the
early scripts really stinks.
The first four or five issues have some highlights but
the overall quality is not good. Later issues are much better
plotted and drawn,despite some clunkers. Atlas horror is
not distinguished for scripting sophisticated stories but
some of them are very fun and enganging and the level of art
is remarkable high.
If you don't know the fascinating horror comics from the
fifties I strongly recommend the comics from E.C. like
Tales from the Crypt and Vault of Horror and the Atlas
as a second option.

Here are my personal ratings:

Atlas Era: Strange Tales Vol. 1:

Strange Tales #1:

Strange Men ===================== **1/2
The Beast ======================= *
The Room That Didn't Exist ====== *1/2
A Call in the Night ============= **


Strange Tales #2:

The Egg! ======================== *****
Trapped in the Tomb! ============ ****1/2
The Pin! ======================== **1/2
The Island of Madness =========== **




Strange Tales #3:

The Shadow ======================= ****
The man Who Never Was ============ *****
The Invisible Death ============== **
The Madman ======================= *1/2
Voodoo =========================== **1/2



Strange Tales #4:

The Evil Eye! ===================== ****
Dial... City Morgue =============== ***1/2
It ================================ **
The Man on the Beach ============== **



Strange Tales #5:

The Room Without Door ============ ****
The Little Man Who was There ===== ****1/2
The Trap ========================= *****
My Brother Harry ================= ****1/2


Strange Tales #6:

The Unihabited ==================== *****
The Eyes of March ================= ****
The Back Door ==================== **1/2
The Killers ======================= ****1/2
The Ugly Man ==================== ***


Strange Tales #7:

My Brother Talks to Bats ============== ****1/2
He Wished He was a Vampire ========== ***1/2
Tap!Tap!Tap! ======================= ****
Who Stands in the Shadow ============ ***1/2
The Horrible Man ==================== ****

Strange Tales #8:

The Old Mill =========== ****1/2
Fame =================== ***1/2
The Storm ============== ****
Something in the Fog === ***
If the Shoe Fits ======= ****

Strange Tales #9:

Blind Date ============== **
Strange Game =========== *
The Man from Mars ======= **
Drink Deep Vampire ====== **1/2
The Voice of Doom ======= ***1/2

Strange Tales #10

The Boy Who Was Afraid ====== ****1/2
The Monster s Son =========== ****1/2
The Frightful Feet! =========== *****
The Hidden Head =========== ****1/2
Keep Out! ================= *****

domingo, 14 de fevereiro de 2010

O Possível Baldi(1936)-Juan Carlos Onetti-Resenha de conto


Sinopse:
Advogado bem sucedido na vida financeira e sentimental,
ainda que desiludido com o mundo, encontra, ao atravessar
uma avenida movimentada, uma misteriosa mulher que
lhe agradece por tê-la ajudado a se livrar de uma
indesejável companhia e lhe pede para contar-lhe
a história de sua vida. O advogado, vendo neste pedi-
do uma válvula de escape para o tédio de sua existência,
cria autobiografias imaginárias em que ele se vê,
dentre outros papéis e personificações, como um impiedoso
caçador de negros na África.


Crítica:
Quando se fala em realismo mágico latino americano,
Gabriel Garcia Marquez, Mario Vargas Llosa e
mais recentemente Isabel Allende são os
nomes que, talvez, primeiro nos pululam à mente.
Com certo esforço, puxando um pouco mais pela
memória, poderíamos citar o Alejo Carpentier,
Manuel Escorza e Juan Rulfo.
O uruguaio Juan Carlos Onetti, ainda que tenha re-
cebido o prestigioso prêmio Cervantes em 1980, não
é um nome frequentemente citado dentre os pratican-
tes desta corrente literária e, ainda que seja
idolatrado por figurinhas carimbadas como Júlio
Cortazar (que o considerava o maior romancista la-
tino americano), e tenha se tornado verdadeiro objeto de culto
entre os conoissieurs de plantão, permanece um escritor
CRIMINALMENTE obscuro, um típico writer's writer.
Parte desta relativa obscuridade se deve ao fato de que
a aplicação do termo realismo mágico para sua obra
se revela inadequada, insuficiente e injusta. Na lite-
ratura do Onetti não encontraremos paisagens selváticas
tropicais, enredos intrincados e atmosfera mágica. Nela
veremos (anti) heróis, fumantes inveterados, que, não
importando condição financeira e status social, carregam
nas costas todo o absurdo e tédio da existência como
um fardo que mesmo depois da morte os assombrarão
pela eternidade. Para eles as fantasias, lorotas, ilusões,
auto-engano e até as "autobiografias imaginárias" lhes
servem como um antídoto de curta duração para os
o pesado fardo da existência, e algumas vezes do deses-
pero absoluto e suicídio.
Praticante do que me convencionou a definir como uma espécie
de existencialismo-introspectivo-onírico-poético-melancólico,
Onetti embala suas fábulas de ilusão e auto-engano em prosa
sinuosa impecável, de uma precisão, beleza plástica, intensidade
poética e finura psicológica digna dos maiores mestres.
A literatura de Onetti jamais se esgota na primeira leitura e após o
término de O Possível Baldi fico com a sensação de ter desco-
berto um autor, muito, muito especial.

Cotação: ***** de *****